Quem não pode doar?

Em quais situações você não poderá doar sangue

Na triagem de doadores, obedecemos a normas nacionais e internacionais, como as do Ministério da Saúde e da Associação Americana de Bancos de Sangue. O alto rigor no cumprimento dessas normas visa oferecer segurança e proteção ao receptor e ao doador de sangue.

Estão relacionadas abaixo as principais causas de inaptidão à doação de sangue. Entretanto, esta relação não esgota o assunto. Algumas situações não estão incluídas nesta lista e serão definidas no ato da triagem clínica realizada pela enfermeira ou pelo médico.

* O uso de alguns medicamentos impede a doação temporária ou definitivamente. Além disso, informe-se sobre exames, cirurgias e tratamentos médicos que tenha realizado ou estejam em andamento, e que não constam na relação abaixo.

A leitura completa deste informativo antes da doação é fundamental, mesmo que você já tenha doado sangue anteriormente!

Pré-requisitos para doação de sangue:

(Passe o cursor sobre os ícones)

PESO
IDADE
SAÚDE
INTERVALO

Você sabe o que é Janela Imunológica?

Depois da contaminação com algum agente infeccioso (HIV, vírus das hepatites, p.ex.), existe um período, denominado janela imunológica, no qual o organismo da pessoa não produz anticorpos que possam ser detectados por exames de sangue e o teste sorológico para a doença se apresenta "negativo". Para diminuir a possibilidade do sangue dessa pessoa ser erroneamente liberado para uso nos pacientes e ocorrer contaminação, o Banco de Sangue realiza uma série de perguntas na triagem clínica, para as quais as respostas precisam ser claras e verdadeiras.

Fatores de impedimento temporário:

  • Gravidez.

Parto (ou aborto): até 3 meses após.

Amamentação: se o parto ocorreu há menos de 12 meses.

  • Início de relacionamento sexual com parceiro(a) fixo(a) há menos de 6 meses da doação.

A pessoa com vida sexual ativa só estará apta para doação de sangue se estiver mantendo relação sexual com um(a) único(a) parceiro(a) no contexto de um relacionamento fixo (namoro, casamento, união estável), há no mínimo 6 meses (vide item seguinte).

  • Relação sexual eventual com parceiro(a) ocasional nos 12 meses anteriores à doação.

A pessoa com vida sexual ativa só estará apta para doação de sangue caso não tenha tido nenhum contato sexual (oral, anal, vaginal) do tipo eventual nos últimos 12 meses, independentemente de ter usado preservativo na relação.

  • Qualquer infecção, alergia ou ferimento no momento da doação ou recente (informe-se sobre os prazos).

  • Uso contínuo ou recente de qualquer medicamento (informe-se sobre os prazos).

É necessário informar o banco de sangue caso esteja em uso de algum medicamento. Os medicamentos mais comumente usados no tratamento de quadros leves ou moderados de hipertensão arterial, ansiedade, depressão e insônia, por exemplo, não impedem a doação de sangue.​

  • Uso de bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação.

  • Uso de drogas ilícitas (informe-se sobre os prazos; dependendo da droga o impedimento é definitivo).

  • Tratamentos odontológicos recentes (informe-se sobre os prazos).

​É necessário aguardar alguns dias para doar sangue após a realização de tratamentos odontológicos mais simples: 1 dia após ajuste de aparelho ortodôntico ou tratamento de cárie sem anestesia, 3 dias após limpeza e 7 dias após tratamento de canal e extração dentária, por exemplo. No caso de tratamentos mais complexos como implante dentário (1ª fase) é preciso aguardar 1 mês.

  • Cirurgias ou exames endoscópicos (informe-se sobre os prazos).

Todo exame ou procedimento endoscópico (endoscopia digestiva alta, colonoscopia, artroscopia, p.ex.) torna a pessoa inapta para doação de sangue durante 6 meses após o procedimento. No caso de cirurgias, a pessoa ficará inapta para doação por períodos variáveis de tempo, proporcionais ao porte do procedimento cirúrgico.

  • Vacinação nas 4 semanas anteriores à doação.

​Existem basicamente dois processos de fabricação de vacinas. A doação de sangue só poderá ser realizada após vacinação, se transcorrido o prazo de 48 horas ou de 4 semanas, dependendo de qual dos dois tipos de vacina foi aplicado.

  • Tatuagem, piercing ou maquiagem definitiva nos 12 meses anteriores à doação.

Pessoas que usam piercing na língua, na boca ou em outras áreas de mucosa não podem doar sangue. Só poderão doar 12 meses após a retirada do piercing dessas regiões do corpo.

  • Viagem internacional nos 30 dias anteriores à doação (informe-se sobre os países).

​Alguns países são considerados áreas endêmicas de doenças inexistentes no Brasil. Esse é, particularmente, o caso da febre do Oeste do Nilo, infecção causada por um vírus e que está presente principalmente nos EUA e Canadá. Após o retorno de viagem a esses países é necessário que a pessoa aguarde 30 dias para estar apta a doar sangue.

  • Viagem para regiões do Brasil ou países com áreas endêmicas de malária, nos 12 meses anteriores à doação.

​Estão incluídas nesse critério de impedimento para doação viagens para os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia e Roraima. A malária também está presente nos estados do Pará, Mato Grosso e Maranhão (exceto nas suas capitais) e em vários outros países.

Fatores de impedimento definitivo:

  • Diabetes (insulino-dependente).

Poderá doar sangue o portador de diabetes mellitus tipo 2 que não faz uso de insulina, apenas de hipoglicemiantes orais, e que está com os índices glicêmicos controlados.

  • Câncer.

Está definitivamente impedida de doar sangue a pessoa que já teve (mesmo que seja considerada curada) ou tem diagnóstico de qualquer neoplasia maligna.

  • Doenças autoimunes (algumas doenças da tireoide, lúpus, artrite reumatoide etc.).

Doenças como hipertireoidismo, determinadas inflamações na tireoide e alguns casos de hipotireoidismo tornam a pessoa definitivamente impedida de doar sangue.

  • Doenças neurológicas e AVC.

  • Algumas doenças na pele (psoríase ou vitiligo em áreas extensas do corpo).

Poderá doar sangue a pessoa que tem psoríase ou vitiligo em áreas restritas do corpo e sem comprometimento de outros órgãos.

  • Histórico de hepatite após os 11 anos de idade.

​Se a pessoa teve hepatite após essa idade e possuir exames da época comprovando uma infecção pelo vírus da hepatite A, mediante apresentação desses resultados ela poderá ser considerada apta a doar sangue.

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

Vita Hemoterapia